Pedro Taques mantém posicionamento de que não irá negociar com os servidores grevistas

0
70

O governador Pedro Taques (PSDB) criticou o “excesso” de greves por parte dos servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), que já realizaram quatro movimentos de paralisação das atividades na autarquia, ao longo deste ano.

A última paralisação da categoria foi iniciada há pouco mais de um mês, e não há qualquer previsão para que os servidores encerrem o movimento.

“O cidadão também está se perguntando: em um ano já foram quatro greves do Detran? Nunca vi quatro greves no ano passado ou em outros anos em que corrupção tomava conta do Detran. Nunca vi ninguém fazer greve por causa disso”, afirmou Taques.

O governador reiterou que não irá retomar as negociações com os servidores, enquanto perdurar a greve.

A principal reivindicação da categoria é no sentido de que o Governo realize a nomeação de pelo menos, 70% dos aprovados no concurso da autarquia, antes de finalizar o ano de 2015, e o restante, em junho de 2016.

Taques disse que, na última segunda-feira (30), foram chamados 30 servidores e observou que o Estado é quem definirá o calendário de chamamento dos demais aprovados.

“A greve é um direito constitucional do cidadão. Agora, com uma greve ilegal eu não concordo. Fizemos um acordo, fizemos um chamamento de 30 servidores para o Detran. Agora, quem determina quando e como vai chamar é a administração pública, não é o sindicato”, disse.

“O sindicato é muito importante, mas quem determina isso é quem foi eleito pelo cidadão mato-grossense para conduzir a política do nosso Estado. Se os servidores não retomarem os trabalhos, não temos negociações”, completou Taques.

Greve

O novo movimento grevista dos servidores do Detran teve início em 23 de outubro, conforme ficou decidido em assembleia-geral da categoria.

A paralisação foi declarada ilegal pela Justiça no dia 29 de outubro.

No dia 9 de novembro, a pedido do Governo de Mato Grosso, a Justiça dobrou para R$ 200 mil por dia a multa imposta ao Sinetran, por descumprimento da ordem de encerramento da greve.

Em entrevista recente, a presidente do sindicato que representa a categoria, Daiane Renner, afirmou que o sindicato já tomou conhecimento das 30 convocações.

“Mas, nossa pauta de reivindicação não é somente essa. Então, vamos permanecer com a greve até que o Governo marque a reunião que nos foi prometida”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA